Categoria: Google

- Fabrine Jeremias

A importância de segmentar seu conteúdo

Você cria conteúdo para as redes socais, posta, anuncia e não sente resultado em todo o processo?! Isso pode acontecer por dois fatores, o primeiro é que você pode não estar mensurando o que é relevante pra entender o resultado ou, está tentando conversar com “todo mundo” sem segmentar. E, é sobre esse segundo ponto que vamos conversar agora.

Quando falamos em segmentar, é que você precisa conversar com quem realmente é seu cliente, fazer conteúdos voltados para o comportamento dele. Por exemplo, durante esses dias, devido a pandemia, ele tem tido comportamento diferente? O que mudou na vida dele? Seu produto ou serviço pode oferecer algum conteúdo para ajudar nesse processo?

Segmentar é compreender que cada pessoa tem seus hábitos, histórias e sonhos. A partir disso, seus conteúdos farão sentido e, as chances de converter em vendas ficam maiores. Isso vai desde a imagem que você escolhe para o público se identificar, até o tipo de texto e linguagem que você vai escrever.

Além de segmentar seu tipo de conteúdo, na hora de criar os anúncios, você precisa ser o mais específico possível. Por exemplo, no Instagram e Facebook, escolha os cargos que a pessoa pode ter, idade, gênero, regiões, mas principalmente o direcionamento detalhado: são pais de crianças pequenas? São pessoas que viajam frequentemente? Mulheres que buscam atividade física? Pessoas que ficaram noivas nos últimos 6 meses? Tudo isso é possível detalhar ao anunciar e, assim ser muito mais assertivo. Lembrando que cada publicação pode ter um direcionamento diferente, fique atento e sempre que puder edite seus públicos para estar atualizado.

Confira também: https://www.inspiraon.com.br/blog/77/como-e-seu-processo-criativo

- Júlia Hahn

Anúncios de remarketing, entenda a importância

Você já deve ter percebido ao longo dos últimos anos anúncios pipocando em seu computador e celular sobre produtos de sites que você recém visitou, são chamados por “anúncios de remarketing”.

A importância de promover anúncios de forma segmentada é cada vez mais essencial para a otimização da verba investida pela marca, assim como conhecer bem o público, ou seja, criar uma persona condizente para os conteúdos gerados para facilitar a criação de anúncios segmentados.

Com o marketing digital é possível delimitar de forma mais clara e assertiva a etapa da jornada de compra dos usuários, filtrando-os com o auxílio de dados e ações específicas de remarketing. Uma das funções do pixel do Facebook, este instalado no código do site, é coletar dados sobre conversões e tráfego dos usuários. Isto permite criar públicos mais específicos e personalizados, conforme a ação de cada pessoa.

Anúncios de remarketing podem servir para lembrar o consumidor de finalizar uma compra ou também apenas relembrar que ele já desejou determinada marca ou produto, alimentando o desejo do consumidor. Caso o usuário acesse apenas a página principal da marca e não visualize nenhum produto, pode ser criado um anúncio abrangente, focando em pessoas que passaram pela página inicial em determinado período. 

Na situação em que usuários acessam a página de um tênis esportivo feminino, o pixel terá coletado dados de todas as pessoas que passaram por este produto, provavelmente sendo em sua maioria mulheres com alguma afinidade esportiva, mas o anúncio de remarketing também não dispensará outras pessoas que estiveram na página com outros perfis.

Um anúncio de remarketing, focado na venda do produto, é criado apenas com a audiência que já esteve na página visualizando o modelo “x” de tênis, pois irá conversar diretamente com pessoas que possuem ou já possuíram interesse na compra, mas não finalizaram ainda. Podendo ser a pessoa que irá fazer uso do produto ou a que presenteará. Algumas marcas após determinado período de visualização do produto criam anúncios com descontos, que aparecem apenas para os usuários que navegaram na página de interesse, sendo este mais um argumento de venda para o usuário finalizar a compra. Os anúncios de topo de funil, com objetivos de alcance ou reconhecimento de marca são tão importantes quanto os de remarketing, um não exclui o papel do outro, sendo este parte importante do processo de venda. 

Confira também: Como é seu processo criativo?

- Fabíola Oliveira

Pesquisas por voz: a aposta da vez

Cada ano que se inicia traz com ele tendências e apostas para a área do marketing digital, que segue em constante evolução. E sabe qual a grande aposta dos profissionais da área para 2020? O aumento significativo das pesquisas por voz nas buscas no Google, ou em aplicativos/assistentes como Siri, Cortana Alexa, Google Assistente e Google Home.

De acordo com uma pesquisa realizada pela ComScore, em 2020 50% das buscas serão feitas por voz, o que significa um impacto imenso nas estratégias de otimização para ferramentas de busca.

A estrutura semântica desse tipo de pesquisa é diferente da estrutura que conhecemos para as buscas digitadas, por isso, a necessidade de atualização para não perder tráfego qualificado.

A otimização para VSEO (voice search engine optimization) leva em conta a forma como as pessoas falam, e não como elas digitam ou escrevem. Outra diferença é o tamanho das respostas, que tendem a ser mais curtas.

Essas são algumas das premissas para começar a otimização do seu site para a nova era das buscas, uma era de soluções rápidas e úteis para consumidores cada vez mais ocupados e exigentes.

Leia também: A importância da Prova Social no Marketing Digital

 

 

 

- Fabíola Oliveira

Entenda definitivamente o que é Inbound Marketing

Você já ouviu falar sobre Inbound Marketing, tentou entender como funciona a técnica e ainda assim ficou com dúvidas? Então esse texto é para você. Nas próximas linhas você vai compreender o inbound definitivamente, de forma simples e de fácil entendimento. Vamos lá?

O que é?

Inbound Marketing, que também pode ser chamado de marketing de atração, consiste em técnicas de marketing que têm como objetivo atrair o público-alvo, em vez de correr atrás dele, ou interrompê-lo, como acontece no marketing tradicional.

Ok, então quem vai correr atrás da marca vai ser o cliente e não o contrário, certo? Certo, e pode parecer milagre, não é mesmo? Você deve estar se perguntando: por que o cliente vai correr atrás da minha marca?

Como funciona?

A resposta é simples: porque em vez de só produzir conteúdos de venda, que falam apenas sobre o seu produto ou serviço e sobre as qualidades deles, você vai produzir conteúdo relevante para o seu público-alvo, que o ajude a entender e a resolver problemas. Simplificando, você vai produzir mais conteúdo relacionado a solução que você oferece, e em como você pode ajudar o seu cliente, do que conteúdo vendendo diretamente seu produto.

Certo, e como o meu cliente vai encontrar o meu conteúdo relevante, se eu não vou “correr” atrás dele para mostrar? Simples também: através de técnicas de marketing digital, entre elas SEO, SEM, segmentações, blog, e-mail marketing e redes sociais.

Essas técnicas seguem um processo, que consiste em: atrair o público interessado no seu negócio, converter esse público com conteúdos relevantes, vender a sua solução para esse público e, por último, encantar e se relacionar com esse público, para que ele volte a comprar de você e a te indicar. Essas etapas também são chamadas de “nutrição” de leads.

É importante entender que todo o processo de inbound marketing, para ser duradouro e eficiente, precisa contar com o auxílio de profissionais capacitados e de ferramentas específicas, que tornam o método mais automatizado e eficaz.

Para que serve? Quais as vantagens?

Todo esse processo de inbound marketing serve para otimizar a aquisição de clientes e o processo de vendas da empresa. Com o método, é possível mensurar os resultados dos investimentos e calcular o ROI, o retorno sobre o investimento.

Além da vantagem de conseguir medir o resultado de todas as ações de marketing, o inbound é também uma forma de gerar conteúdos que realmente façam a diferença para o cliente, mantendo, dessa forma, um relacionamento de confiança com ele. Ou seja, você atrai o público certo, se aproxima e ganha a confiança desse público e ainda consegue tornar o ciclo de vendas mais curto e barato.

Gostou do método de Inbound Marketing e quer saber se é possível aplicá-lo no seu negócio? Fale com a gente!

Leia também: O que são LEADS e tudo o que você precisa saber sobre eles.

 

 

- Fabíola Oliveira

Será que a criatividade é um dom

“Ah, mas eu não sou criativo”. Você, em algum momento, já deve ter dito ou escutado essa frase. Se você, assim como muitas pessoas, acredita que a criatividade é um dom que poucos possuem, chegou o momento de descobrir que não é bem assim.

Eu também acreditava que a criatividade era um dom, até assistir a uma palestra (recomendo muito) do palhaço profissional, ator, humorista e improvisador Marcio Ballas, no RD Summit 2018. Ele começou dizendo que criatividade era uma ferramenta para resolver problemas, e não um dom. E isso me chamou a atenção.

Você deve estar se perguntando: “mas se criatividade não é um dom, porque alguns são mais criativos que outros?”. Simples, porque criatividade é uma habilidade que precisa de prática, e uns praticam mais que outros.

Todos nós nascemos criativos, é só observar a criatividade das crianças. O fato, é que vamos perdendo essa habilidade com o tempo. E como fazer então para recuperá-la e usá-la para resolver problemas do nosso dia a dia?

Um bom começo, segundo Ballas, é tirar o “não” do processo, aceitar as ideias e propostas dos outros, e aprender a trabalhar com o diferente e com os erros (sim, eles fazem parte). A prática da criatividade também inclui a improvisação, a co-criação e, claro, a prática. E aí, está pronto para se tornar, e tornar a sua equipe mais criativa?!

Leia também: Você sabe o que é Marketing de Causa?!

 

 

- Carla Giassi

Como você planeja suas redes sociais?

Um post que viraliza, um conteúdo de sucesso, e a marca fica conhecida, e cada vez mais próxima do púbico. Quando isso acontece é porque seu conteúdo foi feito na medida. Sua empresa faz isso? Como planeja o conteúdo das suas redes sociais? Será que ele está atingindo realmente quem deve?

1 - Conhecer o público é fundamental, e a persona deve garantir que os conteúdos desenvolvidos vão atingir o que as pessoas querem ver e tem interesse. Pense bem: é melhor entregar um material de interesse ou mandar o público embora da sua rede social?

2 - Também vale aqui entender como seu público alvo se comunica. Redes sociais de uma empresa de saúde tem uma linguagem diferente de uma de advocacia. Faz toda a diferença.

3 - Importante ainda se colocar no lugar do público, e pensar se o conteúdo será relevante, útil ou se pode ajudar a resolver algo. Porém, uma ressalva: não é seu gosto pessoal ou do seu chefe que vai determinar um post. Pra isso, existe a persona e segui-la vai mudar totalmente os rumos e resultados da empresa. Qual objetivo quer atingir: vender mais, melhorar imagem, posicionamento?

4 - E, será que sua postagem está fazendo seu público interagir? Chamar para a ação, a conhecida Call to Action, funciona muito bem. O recurso faz sucesso nas redes sociais, desenvolve o relacionamento e ainda te dá novas ideias de conteúdo.

5 - Uma série de fatores vai determinar um bom post, bom relacionamento, posicionamento da marca. Um deles é a identidade. Manter um padrão está relacionado a organização, e forte presença da marca. Você vê, e já sabe que é daquela marca.

As chances de atrair mais seguidores e o melhor: transformá-lo em cliente, são grandes com as técnicas certas! Mas, requer planejamento e conhecimento!

Confira também: Objetivo de Marketing: se você não tem um está perdendo tempo e dinheiro.

 

Aguarde...